As vendas do setor de máquinas utilizadas em obras de construção e mineração seguem de vento em popa, chegando ao final de 2021 com bons motivos para comemorar. Mesmo num período marcado por incertezas econômicas, os fabricantes estão computando 49,3 mil equipamentos vendidos, um salto de 44% ante as 34,1 mil comercializadas no ano anterior.

Os dados foram divulgados no mês de novembro, pelo Estudo Sobratema do Mercado Brasileiro de Equipamentos para Construção, realizado pela Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração (Sobratema).

De acordo com o estudo, essa é a quarta alta seguida nas vendas de máquinas e a quantidade está muito próxima do melhor ano vivenciado pelo setor antes da crise, em 2013, ocasião em que somente da linha amarela foram comercializadas mais de 33,4 mil unidades. Os dados mostram uma curva ascendente de recuperação desse setor, que tem o potencial de ampliação, com as concessões de infraestrutura, o marco legal do saneamento, o crescimento do agronegócio e da mineração, e a continuidade das obras residenciais, comerciais e industriais.

Vendas da Linha Amarela

No segmento de máquinas da Linha Amarela, a previsão é que em 2021 sejam vendidas 31,2 unidades, avanço de 39% sobre as 22,4 comercializadas em 2020. A estimativa é que sejam fornecidas 7.170 retroescavadeiras, 7.500 pás carregadeiras, 9.500 escavadeiras hidráulicas e 1.920 motoniveladoras. Isso significa percentuais de crescimento de 38%, 19%, 36% e 45% em relação a 2020, respectivamente para cada um destes modelos de máquinas.

A comercialização de caminhões rodoviários utilizados em obras de construção também registrou um crescimento significativo, da ordem de 41%, com a previsão de 13.262 unidades vendidas.

Demais equipamentos

A categoria Demais Equipamentos, que engloba guindastes, compressores portáteis, manipuladores telescópicos, plataformas aéreas e equipamentos para concreto, segue o bom momento vivenciado pelo setor. O relatório da Sobratema estima uma expansão de 147% em 2021, puxado principalmente pela recuperação das vendas de guindastes (3650%) e de plataformas de trabalho aéreo.

No que se refere às plataformas, a previsão de crescimento é ainda mais surpreendente, gira em torno de 428% com 1.701 unidades vendidas, ante as 322 plataformas fornecidas em 2020.

A área de equipamentos para concreto acompanhou a elevação das vendas do setor de cimentos, o que repercutiu em um aumento da comercialização dessas máquinas, como os caminhões betoneira (79%).

Perspectiva para 2022

Para o próximo ano, o Estudo Sobratema do Mercado Brasileiro de Equipamentos para Construção estima um novo crescimento nas vendas, da ordem de 12% no segmento de máquinas da linha amarela e 15% para todo o setor de equipamentos para construção.

Uma das tendências apontadas pela pesquisa é que o mercado demande por máquinas econômicas e que as pressões regulatórias para redução de emissões pressione cada vez mais os fabricantes a optarem por máquinas elétricas e híbridas, em detrimento aos tradicionais hidráulicos e mecânicos.

estudo de mercado foi divulgado durante o 16º Tendências no Mercado da Construção, que contou com patrocínio Ouro da Gripmaster junto a algumas empresas de renome envolvidas com o ramo. O evento retrata a importância econômica do setor, auxilia na formulação das políticas que facilitam a aquisição de equipamentos modernos e eficientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.